Copa Brasil de Canoagem Velocidade nesse final de semana em Curitiba

Competição é o segundo evento no calendário 2018 das modalidades e servirá como Controle e Seletiva Nacional

Neste final de semana o Parque Náutico do Iguaçu, em Curitiba – PR recebe a Copa Brasil de Canoagem Velocidade e Paracanoagem. Este é o segundo evento do calendário de competições nacionais das duas modalidades e é esperado que receba pelo menos 224 atletas de 34 associações de todo o Brasil. Além de ser a segunda competição de Canoagem Velocidade e Paracanoagem organizada pela Confederação Brasileira de Canoagem o evento ainda é classificado como Controle Nacional.

As disputas de Canoagem Velocidade serão divididas em seis categorias: Infantil, Menor, Cadete, Júnior, Sênior e Master, todas com provas de 500m, 1000m e 5000m. As categorias Júnior, Sênior e Máster com provas de 200m e todas, menos a categoria Infantil, terão disputas de 5000m, tanto na canoa (C1 e C2) quanto no caiaque (K1 e K2). Neste ano a Copa Brasil não terá disputas do K4, pois “com o tempo curto que temos para realizar o evento não teríamos tempo hábil para realizar as provas de K4 durante a Copa Brasil”, comenta Alvaro Koslowski, supervisor da Canoagem Velocidade junto à CBCa.

Já na Paracanoagem os atletas poderão participar de provas do KL1, KL2 e KL3, VL1, VL2 e VL3 além das provas do KLT1 e KLT2, para atletas tetraplégicos. Todas as provas, com exceção do KLT que terão a distância de 100m, serão disputadas nos 200m e 500m. A classificação funcional será realizada na sexta-feira (06) nas dependências da competição, dentro do Parque Náutico Iguaçu.

Além das disputas individuais a Copa Brasil de Canoagem Velocidade e Paracanoagem também apresenta a disputa por equipes, onde as Associações adquirem pontos com a posição de seus atletas nas provas. Na Canoagem Velocidade as categorias Infantil, Menor e Cadete terão 20 pontos para o primeiro colocado de cada prova, 18 para o segundo, 16 para o terceiro e assim por diante. No restante das categorias a pontuação será dividida pela metade: 10 pontos para o primeiro colocado, 9 para o segundo, 8 para o terceiro e assim sucessivamente. Diferente dos anos anteriores, a disputa por equipes será separada entre as modalidades, por isso, a pontuação da Paracanoagem será de 20 pontos para as primeiras colocadas do K1 Feminino (KL1, KL2 e KL3), 18 para as segundas colocadas e 16 pontos para as terceiras. Nas demais categorias (K1 e V1 Masculino e V1 Feminino) essa pontuação será pela metade (10 pontos para os primeiros colocados, 9 para os segundos, 8 para os terceiros).

Programação

A partir da sexta-feira (06) o Parque Náutico ficará aberto para treinamento das equipes e a classificação Funcional da Paracanoagem. No dia seguinte, sábado (07), tem início a competição em si, com as provas eliminatórias, semifinais e finais de 1000m e semifinais das provas de 500m. No domingo (08), dia final do evento, acontecem as finais das provas de 500m, além das eliminatórias, semifinais e finais de 200m e 5000m. A programação definitiva do evento será disponibilizada apenas na quinta-feira, quando terminar o período em que as associações podem excluir atletas das provas.

A Copa Brasil de Canoagem Velocidade e Paracanoagem é organizada e supervisionada pela Confederação Brasileira de Canoagem – CBCa, com apoio do Comitê Paralímpico Brasileiro – CPB, Prefeitura de Curitiba, Sanepar, GE e Itaipu Binacional.

CBCa realizará curso de arbitragem e classificação funcional

Durante a competição a Confederação Brasileira de Canoagem organizará, com o apoio da Educação Paralímpica do Comitê Paralímpico Brasileiro, dois cursos, um de arbitragem de Paracanoagem e Canoagem Velocidade e outro de Classificação Funcional. O curso de arbitragem terá 25 alunos, que fizeram a inscrição através do site da CBCa, e visa a formação de novos árbitros que atuarão em eventos regionais e nacionais da Canoagem Brasileiro. A CBCa realiza o curso com o apoio da Educação Paralímpica do Comitê Paralímpico Brasileiro.

O segundo curso é voltado especificamente para o sistema de classificação funcional, que sofreu atualizações no mês de fevereiro, devido à inclusão do V1 no programa paralímpico dos Jogos de Tóquio em 2020. Seguindo a indicação da Federação Internacional de Canoagem o curso visa difundir as novas regras junto aos classificadores brasileiros que passaram por cursos em 2016 e 2017. O curso será ministrado pela Chefe de Classificação Funcional na Federação Internacional de Canoagem – FIC, Maria de Fátima Fernandes Vara e o chefe da Paracanoagem na FIC, John Edwards. Participarão da ação Classificadores brasileiros, canadenses, uruguaios, chilenos e argentinos.

Para Leonardo Maiola, supervisor da modalidade junto à CBCa “as duas ações vão auxiliar o desenvolvimento da modalidade no Brasil”, e o curso de Classificação Funcional “possibilitará que a classificação dos atletas seja a mais alinhada com as novas normas da FIC quanto possível, dessa forma teremos os melhores atletas nas classes corretas, o que aumenta a competitividade do Brasil nas competições internacionais”, complementa Maiola.

Controle Nacional e Seletiva Nacional

Os atletas que participarem da Copa Brasil de Canoagem Velocidade e Paracanoagem tem mais motivos para dar o melhor de si do que apenas a conquista de medalhas no evento. A competição também será Controle Nacional tanto para a Canoagem Velocidade quanto para a Paracanoagem.

O Controle Nacional tem como objetivos aferir, avaliar e selecionar atletas para compor as Equipes Nacionais Permanentes e serve como ferramenta de avaliação dos atletas que já estão treinando na Equipe Permanente. O Controle acontece em distâncias olímpicas, nas embarcações individuais (K1 e C1), nas categorias Sub-23, Júnior e Sênior. Atletas da categoria Menor podem participar do Controle durante a Copa Brasil, mas serão avaliados na categoria Júnior. Durante o Campeonato Brasileiro de Canoagem Velocidade, que será realizado na Bahia, no mês de setembro, haverá um Controle Nacional específico para a categoria Menor, que terá participação do Campeonato Sul-americano de Canoagem Velocidade, realizado em dezembro.

Além de avaliar os atletas brasileiros o Controle Nacional também define os representantes brasileiros nas competições internacionais durante o calendário de 2018. Para que o atleta seja selecionado, a Seletiva não usa como base apenas no desempenho do atleta na competição, pois um Comitê de Seleção pré-estabelecido levará em conta a opinião dos treinadores nacionais antes de dar o aval às embarcações representantes do Brasil nas competições internacionais.

A expectativa do Comitê de Canoagem Velocidade é alta para o evento, conforme comenta Alvaro Koslowski “Nós implantamos um novo plano de trabalho, com métricas e formas de avaliação específicas. Esperamos que isso gere um crescimento em termos de rendimento e resultados nas competições internacionais. Esperamos que essa nova forma de trabalho que estamos implementamos minimize a falta do CT de Curitiba no começo de 2018 e gere uma competição saudável entre os atletas do Brasil.”