Projetos de canoagem estão ameaçados em Caxias do Sul

Remadas Solidárias para idosos chegou ao fim e o projeto com as crianças também corre o risco de acabar.

Texto por Ana Guarnieri, GauchaZH, Foto por Maicon Damasceno / Agencia RBS

A Associação Caxiense de Canoagem (ACCAN), idealizadora do projeto Remadas Solidárias, de canoagem para idosos, em parceria com o Fundo Municipal do Idoso (Fumdi), do Conselho Municipal do Idoso (CMI) e da Fundação de Assistência Social (FAS), chegou ao fim por problemas na prestação de contas.

De acordo com a presidente da Fundação de Assistência Social (FAS), Rosana Santini, os problemas começaram a aparecer em maio de 2016, quando a ACCAN teve os recursos bloqueados. Depois disso, ela conta que a associação conseguiu regularizar a situação e por isso, em setembro de 2017 teve recursos repassados novamente. Porém, as contas voltaram a apresentar irregularidades. Ainda assim, Rosana explica que houve uma prorrogação de três meses sem execução para a associação se regularizar, o que não foi cumprido.

A presidente conta ainda que quem faz o pagamento dos recursos para a Associação Caxiense de Canoagem é o Fundo Municipal do Idoso. E garante que essa parceria deveria ser por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL). Ela explica que é difícil para a Fundação de Assistência Social controlar o projeto, já que tem relação com o esporte. Mas para que passe às mãos da SMEL, seria preciso alterar a legislação. Segundo a presidente, direitos das crianças e idosos podem ser controlados por diferentes secretarias, entre elas educação, esporte, entre outras.

De acordo com Jonatan Maia, que faz parte da Associação Caxiense de Canoagem e assumiu recentemente a supervisão do projeto, o antigo gestor falhou na administração. O transporte e o lanche, que era dado aos idosos, foram cancelados ainda em agosto do ano passado. O projeto conseguiu se sustentar até fevereiro deste ano. Ele explica que, em função dos repasses de valor que a entidade deve fazer para a FAS, na casa dos 35 mil reais, não há mais possibilidade de o projeto seguir atendendo os 75 idosos participantes.

Maia garante que a ACCAN errou, mas que a FAS também foi omissa na prestação de contas, cobrando coisas de anos anteriores, que já haviam sido aprovadas.

De acordo com a presidente da FAS, a alternativa agora é procurar por novas parcerias, mas ela adianta que, em Caxias, a ACCAN é a única que presta o serviço. Está em estudo a possibilidade de trazer uma entidade de fora da cidade ou mesmo a Smel assumir, já que ela cuida do projeto Navegar e já teria apresentado uma proposta. Porém, a presidente adianta que talvez não seja possível atender com a mesma freqüência da associação, que era duas vezes por semana. Isso não deve acontecer antes da metade do ano.

Álvaro Koslowski, coordenador e idealizador do Projeto Remadas Solidárias lamenta o fechamento do programa direcionado aos idosos. Ele explica que as atividades físicas para pessoas idosas, são importantes e fundamentais quando relacionadas a saúde mental e física. A oferta da possibilidade de prática da canoagem para idosos em Caxias do Sul é um diferencial, pois além do movimento possibilita um amplo contato com a natureza.

Além disso, Koslowski faz um alerta em relação ao projeto Remadas Solidárias, que pode acabar por completo. Ele salienta que a modalidade com as crianças também está ameaçada, uma vez que só há recursos até o final do mês de março, mas ainda não há a confirmação de recursos dos patrocinadores para renovar e retornar as atividades em maio. É possível que todo o projeto remadas solidárias pare esse ano.