Rafting emancipa-se da Confederação Brasileira de Canoagem

Modalidade mais vitoriosa da CBCa terá sua própria entidade nacional representativa a partir deste ano.

Apesar de ser um esporte com história recente no Brasil com início nos anos 80, o Rafting brasileiro é atualmente um dos mais respeitados do mundo com conquistas nas categorias masculino (tetracampeão mundial Open), feminino (tricampeão mundial Sub-23), além de ter sido país-sede de grandes eventos como por exemplo o Mundial de 2014 e o Pan-americano de 2010, ambos realizados em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Hoje referência no cenário mundial o Rafting brasileiro só conseguiu se tornar essa potência no esporte graças à parceria iniciada com o Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) na década de 90.

“Foi um parceria que deu muito certo por muitos anos e os resultados conquistados e os eventos realizados aqui no Brasil mostram isso. Contudo, o Rafting cresceu e agora é o momento dele seguir seu caminho com suas próprias pernas e continuar seu crescimento independente da Canoagem Olímpica”, ressalta João Tomasini Schwertner, presidente da CBCa

Conversas iniciadas em 2017 já mostravam o caminho para a emancipação do Rafting do quadro de modalidades da CBCa e neste ano será fundada a Associação Brasileira de Rafting (ABR) com William Thomaz como seu primeiro presidente da entidade nacional.

Segundo William o principal objetivo de fundação da ABR é de ganhar autonomia nas ações e na gestão da modalidade, formatando projetos que beneficiem às seleções brasileiras, clubes, técnicos e atletas, razão principal de todo esse trabalho.

“Somos muito gratos à parceria com a CBCa, mas entendemos que, como disse o presidente Tomasini, o Rafting cresceu e temos totais condições de desenvolver vários projetos junto à nossa comunidade esportiva visando o desenvolvimento, crescimento e visibilidade específica da modalidade”, ressalta.

O Rafting é a terceira modalidade com mais afiliados na CBCa, com 543 atletas cadastrados, ficando atrás apenas da Canoagem Velocidade (1.269) e Canoagem Slalom (730), ambas modalidades olímpicas. O site oficial será www.raftingbrasil.com.br (em construção).

Histórico do Rafting Brasileiro

O Rafting Brasileiro tem uma bagagem invejável em se tratando de conquistas internacionais e potencial de crescimento. Mesmo sendo uma das modalidades mais recentes do quadro de filiadas da CBCa, o Rafting coleciona medalhas em praticamente todas as categorias do esporte.

A primeira medalha internacional foi conquistada no Campeonato Pan-americano de Rafting de 1999, realizado na Costa Rica.

A medalha foi um bronze no Rafting Masculino Sênior e já dava uma amostra de tudo que os brasileiros poderiam conquistar no futuro. Desde o primeiro bronze até hoje a modalidade coleciona dez medalhas em Pan-americanos, três de ouro, três de prata e quatro de bronze.

Em Campeonatos Mundiais os resultados são ainda mais impressionantes: nada mais nada menos do que 24 medalhas , sendo 16 de ouro, três de prata e cinco de bronze, entre 1999 e 2016. O ponto alto desta trajetória internacional aconteceu em 2014, quando o Brasil foi sede do Campeonato Mundial de Rafting R4, que aconteceu no Canal Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR). O evento reuniu atletas de 19 países, mas mesmo assim os brasileiros contaram o “fator casa” e emplacaram seis medalhas de ouro e uma de bronze.

O Brasil é o atual bicampeão mundial no Rafting R4 nas categorias Open Masculino e Feminino, além de ser o atual campeão mundial do Rafting R6 no Sub-23 Masculino e Feminino e tetracampeão no Rafting R6 Open Masculino.

Pan-Americanos – 3 ouros, 3 pratas e 4 bronzes
3º lugar – Rafting Maculino Sênior – Pan-americano de Rafting | Costa Rica – 1999
3º lugar – Rafting Maculino Sênior – Pan-americano de Rafting | Costa Rica – 2006
3º lugar – Rafting Feminino Sênior – Pan-americano de Rafting | Argentina – 2008
1º Lugar – Rafting Masculino Sênior – Pan-americano de Rafting | Argentina – 2008
1º Lugar – Rafting R6 Masculino Sênior – Pan-americano de Rafting | Foz do Iguaçu – 2010
2º Lugar – Rafting R6 Masculino Sênior – Pan-americano de Rafting | Foz do Iguaçu – 2010
3º Lugar – Rafting R6 Feminino Sênior – Pan-americano de Rafting | Foz do Iguaçu – 2010
1º Lugar – Rafting R6 Masculino Sênior – Pan-americano de Rafting | Canadá – 2012
2º Lugar – Rafting R6 Masculino Sênior – Pan-americano de Rafting | Canadá – 2012
2º Lugar – Rafting R6 Feminino Sênior – Pan-americano de Rafting | Canadá – 2012

Mundiais – 16 ouros, 3 pratas e 5 bronzes
3ª lugar – Rafting Masculino Sênior | Lipno – Rep. Tcheca – 2003
3º lugar – Rafting Masculino Sênior | 2006
1º lugar – Rafting R6 Masculino Sênior | Naerincheon River – Coréia do Sul – 2007
1º lugar – Rafting R4 Masculino Sênior | Bangaluka – Bósnia – 2009
2º lugar – Rafting R4 Masculino Sênior | Zoetermeer – Holanda – 2010
1º lugar – Rafting R6 Masculino Júnior | Pacuare River – Costa Rica – 2011
3º lugar – Rafting R4 Feminio Júnior | Ceske Budejovice – Rep. Tcheca – 2012
2º lugar – Rafting R6 Feminino Sub-19 | Rotorua – Nova Zelândia – 2013
1º lugar – Rafting R6 Masculino Sub-23 | Rotorua – Nova Zelândia – 2013
1º lugar – Rafting R6 Masculino Sênior | Rotorua – Nova Zelândia – 2013
1º lugar – Rafting R4 Feminino Open | Foz do Iguaçu – 2014
1º lugar – Rafting R4 Masculino Open | Foz do Iguaçu – 2014
1º lugar – Rafting R4 Masculino Máster | Foz do Iguaçu – 2014
1º lugar – Rafting R4 Feminino Sub-23 | Foz do Iguaçu – 2014
1º lugar – Rafting R4 Masculino Sub-23 | Foz do Iguaçu – 2014
3º lugar – Rafting R4 Feminino Sub-19 | Foz do Iguaçu – 2014
1º lugar – Rafting R4 Masculino Sub-19 | Foz do Iguaçu – 2014
1º lugar – Rafting R6 Feminino Sub-23 | Citarik – Índia – 2015
1º lugar – Rafting R6 Masculino Sub-23 | Citarik – Índia – 2015
1º lugar – Rafting R6 Masculino Open | Citarik – Índia – 2015
1º lugar – Rafting R4 Masculino Open | Al Ain – EAU – 2016
2º lugar – Rafting R4 Masculino Sub-23 | Al Ain – EAU – 2016
1º lugar – Rafting R4 Feminino Sub-23 | Al Ain – EAU – 2016
3º lugar – rafting R4 Masculino Sub-19 | Al Ain – EAU – 2016