Resumo de sábado: Animal e Lena faturam o SUP, Rogério Mendes e Sinara Pazos no Waterman

Com sol, calor, água calma e praia lotada, o Aloha Spirit Festival iniciou as disputas neste sábado (24), com finais emocionantes e muitas histórias de superação.

Por FMA Notícias, fotos de Fábio Maradei

Numa das principais provas do dia, o Stand Up Paddle (SUP), que reuniu mais de 400 atletas, prevaleceu o favoritismo: Luiz Guida, o Animal, e Lena Ribeiro foram os campeões. Outro destaque do dia foi a prova de Waterman, composta de natação, SUP e Paddleboard, com os primeiros colocados sendo Rogério Mendes e Sinara Pazos.

No SUP, a chegada da masculina foi a mais emocionante do dia, definida no sprint entre dois grandes nomes da modalidade, ambos com títulos nacionais. Durante todo o percurso, Animal esteve no pelotão da frente revezando a ponta com Guilherme dos Reis, de Ilhabela, Mario Cavaco, de Guarujá, e Arthur Santacreu, de São Paulo. Na reta final, ele e Gui remaram mais forte.

O atleta local fez três ataques, todos anulados por Animal que ainda tinha fôlego para uma última arrancada, chegando vibrando. “Foi raça. Disputa bem apertada. Tive a estratégia de ficar ali no bolo, porque sabia que no final teria o sprint maluco do Gui, que ele é muito bom, mas consegui contra-atacar. Essa vitória representa muito. Estou há muito tempo nessa luta e preciso de resultado para ter força e energia, ter inspiração para continuar treinando e representar bem nosso país”, falou o campeão que trocou São Paulo por Ubatuba para poder treinar cada vez mais.

Entre as mulheres, Lena teve uma prova mais tranquila. Fez força na primeira das três voltas e depois administrou a grande vantagem. “Minha largada foi péssima. Quando fui colocar o remo, não tinha água, só tinha pranchas, mas consegui me recuperar. A estratégia foi remar forte para poder abrir”, contou. “O Aloha é uma grande confraternização de várias modalidades, mas também um campeonato altamente competitivo. O título vale muito para os atletas profissionais”, destacou a atleta de Arraial do Cabo, bicampeã brasileira, campeã pan-americana e também da Eleven City, na Holanda.

Outra prova muito disputada foi a Waterman. No masculino, Patrick Winkler era o favorito e outro favorito, Rogério Mendes, atual campeão do Aloha Spirit de canoa havaiana individual, competiu lesionado. Sentiu uma fisgada na perna direita e mal conseguia andar direito. Patrick abriu na natação e manteve vantagem no SUP e iniciou o paddleboard com boa vantagem.

Rogério nadou bem em terceiro, começou a recuperar na remada de SUP e foi muito forte na última “perna” da prova, chegando com uma vantagem para conseguir ir mais devagar na corrida até a linha de chegada. Major do Exército, ele creditou a vitória à disciplina militar. “Comecei a tomar remédio, fazer gelo para conseguir me arrastar na transição, porque eu sabia que tinha treinado muito”, explicou.

“Na minha cabeça eu tinha de lutar na natação para o Patrick não abrir muito. Senao, a prova seria mais difícil. Ele abriu, mas era uma distância que ainda dava para acreditar. Eu treinei muito. Já sabia o que ia fazer. Queria chegar bem na última boa e depois foi na raça”, acrescentou o atleta de São Vicente.

Ele lembrou o ensinamento da Infantaria do Exército para conseguir fazer a prova de superação. “O parar jamais, a meta de nunca desistir, em competição é sempre um combustível a mais, ainda mais em prova de grau de dificuldade muito elevado”, comentou. O locutor oficial do evento, Fernando Bonfá, destacou o feito de Rogério falando ao público: “O monstro do dia. O que você toma no café da manhã?”, brincou.

Já entre as mulheres, Sinara chegou com grande folga, mesmo sofrendo no SUP. “Sabia que tinha de forçar tudo na natação e depois teve o paddleboard que é minha praia”, destacou a atleta, sem dúvida, um dos principais nomes do dia, com o terceiro lugar na natação e também a vitória no paddleboard, modalidade que é campeã brasileira e top 10 do Mundo.

Outra grande atração do evento foi a prova overall de canoas havaianas OC6. Foram 20 km de remadas e a equipe Tahoe, de Santos, comandada pelo experiente Cauê Serra, foi a vencedora, superando os donos da casa, da equipe Base Alpha, e em terceiro a Associação Esportiva Samu.

Também foram disputadas provas de natação, canoa havaiana feminina e master, paddleboard e revezamento de natação, reunindo atletas de várias partes do Brasil. Entre as várias histórias do dia, a do paulistano Cláudio Placa, que completou os 1.500 metros de natação junto de sua cadela da raça labrador, de 11 anos, Leona. “Ela sempre participa comigo. Ela gosta de nadar”, brincou o dono.

No SUP, nas disputas amadoras, uma dobradinha familiar com o grande talento da nova geração Guilherme Cunha, levando na prova de 6 km e seu pai, Rogério Cunha, nos 3 km. “Prova foi desgastante, muito calor, acompanhei os ponteiros da prova de 9 km por um tempo e foi muito bom”, falou o atleta de 15 anos que tem nove títulos brasileiros na base, os dois últimos na open, além de um mundial sub14.

O pai também ficou orgulhoso, sobretudo por mais uma conquista de Gui. “Sempre incentivei o esporte e hoje ele é o cara que está chegando junto. Hoje foi muito legal nós dois ganharmos. Eu estava treinando para canoa havaiana oc1, mas meu equipamento quebrou e decidi ir no SUP. Deu tudo certo”, falou o atleta também de São Vicente e que está com 48 anos.